ABP TV debate os transtornos alimentares nos homens

Os transtornos alimentares são caracterizados pelo comprometimento persistente da alimentação ou do comportamento alimentar que resulta no consumo ou na absorção alterada de alimentos, impactando na saúde física e psicossocial no indivíduo. Além dessas alterações, outras manifestações são percebidas no paciente, como mudanças na autoimagem e problemas na autoestima.

De uma forma geral, os transtornos alimentares são mais frequentes nas mulheres, mas os homens também são padecentes de anorexia e bulimia nervosa, compulsão alimentar e outros transtornos. No próximo ABP TV, vamos debater o tema “Saúde mental do homem: transtornos alimentares”. O programa é ao vivo no dia 01 de novembro, às 20h30.

Participam os médicos psiquiatras:

Dr. Adriano Segal: médico psiquiatra, Membro da Comissão de Transtornos Alimentares da ABP, Membro da Comissão de Psiquiatria e Transtornos Alimentares da ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica), Coordenador de Psiquiatria do COD-HAOC (Centro de Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz).

Dr. João Hiluy: Psiquiatra pelo Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPUB-UFRJ). Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Psiquiatria da UFRJ no Grupo de Obesidade e Transtornos Alimentares. Associado titular e membro da Comissão de Transtornos Alimentares da ABP.

Dr. José Carlos Appolinário: médico da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É coordenador do Grupo de Obesidade e Transtornos Alimentares do IPUB/UFRJ e Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia, e do Ambulatório de Depressão Resistente do IPUB/UFRJ (DeReTrat). Coordenador da Comissão de Transtornos Alimentares da ABP.

O programa ABPTV é transmitido ao vivo pelo Facebook da ABP, Canal ABPTV no Youtube, pelo Instagram da ABP (@abpbrasil) ou pelo site da Associação. Participe você também enviando suas perguntas pelos espaços de comentários das transmissões ou pelo Linha Direta no site da ABP.

Data: 28/10/2022
Fonte: Associação Brasileira de psiquiatria